Resumo das questões e respostas a serem utilizadas no trabalho final.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Resumo das questões e respostas a serem utilizadas no trabalho final.

Mensagem  Carla Cristine em Qua Dez 07, 2016 10:07 am

Bom pessoal, com o intuito de deixar o trabalho mais fácil para o desenvolvimento final, fiz algumas alterações no corpo das respostas que inseri nesse anexo. Gostaria que todos lessem e se quiserem coloquem mais informações para responder a principal pergunta: COMO PESQUISAR EM MÍDIAS INTERATIVAS?
A partir desse texto, imagino que já podemos desenvolver o áudio e posteriormente terminar esse primeiro desafio.



Desenvolvimento das soluções e alcance dos objetivos
Neste tópico, há apresentação do desenvolvimento de como solucionar o problema, esta apresentação está no Mapa Mental:


Cujas perguntas foram elaboradas e votadas no TRELLO:


E respondidas no Fórum:



OBJETIVOS ALCANÇADOS:

-Foi identificado métodos e ferramentas de pesquisas na internet com maiores chances de acertos;
-Aprendizado em diferenciar fontes confiáveis de não confiáveis;
-Maior compreensão do que é e o porquê da importância de mídias interativas;
-Maior compreensão de como pesquisar em mídias interativas.
 
Aluna: Glaucia
 
Como identificar a cultura virtual das mídias?

Para Kellner (2001), o termo cultura das mídias assinala tanto as formas de produção da indústria cultural quanto seu modo de distribuição, ou seja, as tecnologias. Destarte, a cultura da mídia abrangeria as interconexões entre a cultura e os meios de comunicação, designando a colonização da cultura pela mídia e constituindo-se como o principal meio para sua circulação e disseminação. Assim como para Santaella (2003), a cultura das mídias acarreta para Kellner (2001) uma série de transformações no âmbito cultural devido principalmente ao desenvolvimento dessas novas tecnologias midiáticas que conferem mais autonomia aos indivíduos, porém, ainda que isso implique numa interferência da produção e disseminação da cultura por parte da sociedade em geral, a cultura das mídias não deixa de ser “a forma dominante e o lugar da cultura nas sociedades contemporâneas” 

Vivemos cada dia um novo mundo de transformações constante com os avanços da tecnologia, e com isso, o meio digital cresce rapidamente, por tal motivo as mídias se propagam rapidamente se transformando em meios de comunicação extremamente eficientes, mas neste momento surge uma grande diversidade em identificar a cultura virtual dessas mídias.
Com o avanço dessas mídias, elas conseguem gerar no sujeito que a utiliza, algo chamado de “identidade móvel”, não é mais apenas seguido os conceitos e princípios na formação humanística, mas também no relacionamento digital de cada indivíduo.
Identificar a cultura virtual das mídias está diretamente ligada ao fato de quem, como, quando e para que, será utilizada, a finalidade da ferramenta diante do uso na sociedade virtual.

Inclusive um outro ponto muito bem elencado por Horkheimer nos mostra um ponto a ser analisado.
Porque normalmente se tem uma inovação/avanço tão rápido que acontece a "reprodução em massa", com auxilio das mídias digitais, que simplesmente geral uma 'cultura" de reprodução constante sem antes nem avaliar a credibilidade da informação. 

Obs: Gera uma cultura tão centrada em apenas reproduzir tudo, mas não uma cultura crítica para ver a importância dos fatos.

Mas o que é novo é que os elementos irreconciliáveis de cultura, arte e distração, estão subordinados a um fim e submetidos a uma fórmula falsa: a totalidade da indústria cultural. Isso consiste em repetição. Que tais inovações, características, são nada mais do que melhorias de reprodução em massa, não é extrínseco ao sistema. É com essa boa razão que o interesse de inúmeros consumidores é direcionado para a técnica, e não aos conteúdos – que são insistentemente repetidos, desgastados, e até parcialmente desacreditados. O poder social que os espectadores veneram se manifesta de forma mais eficaz na onipresença do estereótipo imposto pela habilidade técnica que nas ideologias obsoletas nas quais os conteúdos efêmeros persistem.
(HORKHEIMER; ADORNO, 1986, p. 136).

HORKHEIMER, Max; ADORNO, Theodor W. Dialetic of Enlightenment.
London: Verso, 1986.
(Disponível em http://interin.utp.br/index.php/vol11/article/viewFile/439/pdf, acesso em 6 dez. de 2016).
Da cultura da mídia à cibercultura: as representações do eu nas tramas do ciberespaço Aline Soares Lima
https://mestrado.fic.ufg.br/up/76/o/ciberespaco_representacoes_do_eu.pdf
Alunos: Jonas e Geicimar
Como usar mídias interativas em trabalhos acadêmicos?
Para a fundamentação de um trabalho cientifico, exige-se que as informações constadas nele sejam embasadas em fontes seguras, para que assim outras pessoas possam acessá-las e usá-las como fonte de aprendizagem. Todas as tecnologias existentes hoje estão sendo usadas para uma melhora na parte da docência. Os profissionais na área da educação estão cada vez mais preocupados com suas capacitações e em como sugar o máximo de informações do mundo da internet. Com isso, nós acadêmicos temos a vantagem de encontrar todos os tipos de conteúdos na internet. 
Com o isso o uso das mídias interativas em trabalhos não se torna algo fora do normal. Pois podemos usá-las, seja os vídeos postados em YouTube, conversas em Whatsapp, Posts no Facebook, twitter e dentre vários outros.  A transmissão que tivemos com o professor Cleomar, também pode ser usada. Elas podem ser usadas desde que seus idealizadores autorizem e mediante a responsabilidade de colocar suas determinadas referencias. 
Todo esse conteúdo e rico de informação e precisa-se ter o mesmo cuidado com a seriedade do assunto proposto.  E na hora de inserir no trabalho ele pode inserido em forma de texto ou se não com seu hiper link, depende do tipo de trabalho em questão.
Quando realizar a pesquisa, e notar que é imprescindível a presença de um trecho do texto, é importante colocar de onde foi retirado, e colocar estas informações nas referências como está delimitado nas normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) para este tipo de pesquisa.
- Utilize várias fontes para o seu texto, assim você enriquecerá o seu trabalho.
- Mesmo com muitas informações presentes na Internet, é sempre bem vinda à presença de referências baseadas em obras bibliográficas. Além de trazer grande credibilidade o assunto ali abordado é rico em informações, visto que o autor teve de estudar muito para realizar a obra.
Seguindo estas regras e o senso comum, qualquer aluno bem disciplinado terá excelentes resultados na hora de realizar trabalhos que foram pesquisados na Internet. É preciso não esquecer de anotar a referência de onde os trechos e as informações foram retirados, porque isso será necessário depois. "Outra questão importante é sempre pesquisar em mais de uma fonte, para poder obter informações mais abrangentes sobre o mesmo assunto e até mesmo opiniões divergentes, para que o aluno perceba os diversos olhares possíveis da questão",
 
Patricia Smith Cavalcante, professora dos cursos de graduação e pós-graduação do Centro de UFPE (Universidade Federal de Pernambuco)
http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/como-ajudar-pesquisa-escolar-736671.shtml
Alunos: Carla e Jonas
Quais mídias são mais didáticas para o aprendizado?
Hipóteses: Mídias e plataformas reconhecidas cientificamente; mídias classificadas por faixa etária e ou nível de aprendizado; mídias classificadas por conteúdo educativo. 

A princípio é preciso analisar o que significa 'didática', pois se visa encontrar tal característica ou recursos em mídias interativas. Além de uma disciplina do currículo de pedagogia, didática pode ser compreendida como a 'arte de ensinar'. 
Brousseau (1996) propõe o sistema didático stricto sensu ou triângulo didático, que comporta três elementos - o aluno, o professor e o saber - que são partes constitutivas de uma relação dinâmica e complexa - a relação didática - que leva em consideração as interações entre  professor e alunos (elementos humanos), mediados pelo saber (elemento não-humano), que determina a forma com as tais relações irão se estabelecer. (POMMER, 2008, p2). 
Já outro autor define que: (...)  a  sistematização  e  racionalização  do  ensino,  constituída de  métodos  e  técnicas  de  ensino  de  que  se  vale  o  professor  para  efetivar a sua intervenção no comportamento do estudante. (POMMER apud LIBANEO, 1992, p.14).
Didática significa simplesmente ensinar, explicar e instruir ao aluno com técnicas de explicação para melhor formação do mesmo nos âmbitos de estudos ao que se há proposto. Ou seja, o conteúdo é planejado e  explicado visando o maior e o melhor entendimento do aluno. É preciso frisar que na didática há um foco constante no aluno visando encontrar os melhores métodos e técnicas para que o aluno alcance o conhecimento.
Assim, a mídia pode ter um papel de ferramenta para aumento da didática do professor, responsável pela transmissão do aprendizado. Entretanto, hoje em dia, vê-se na educação a substituição de professores por tutores, estando os alunos auto-responsáveis por seu aprendizado. 
Hack e Negri (2008, p.2)  citam: para o professor auxiliar na construção do conhecimento, precisará estabelecer uma interlocução constante com o aprendiz através de mídias que permitam a comunicação, dialogar entre as partes. A novidade não está no auxílio à construção do conhecimento pelo diálogo, mas nas múltiplas possibilidades que as TIC (Tecnologias da informação e comunicação) abrem à interação entre as partes envolvidas no processo de ensinar e aprender. 
Entretanto, as mídias permitem que o foco de aprendizado seja o aluno, promovendo a autonomia do mesmo, sem necessidade de mediadores. Assim, a mídia interativa adequada acaba se moldando ao conteúdo e seu público específico para aprendizado. Por exemplo, para a educação básica, ensino infantil, é comum associar ludo mídias, aplicativos educativos com jogos, cores e formas para aprendizado. Para o ensino médio, a perspectiva muda para uma mídia já com vídeos e interatividade. Entretanto, a mídia adequada se altera também conforme o conteúdo. Por exemplo, o uso de aplicativos para aprendizado de novos idiomas, como o Duolingo, consiste em aprendizado para pessoas que têm espaços de tempo curto disponíveis; e HelloTalk, mídia que permite o contato direto com pessoas do idioma nativo, já se apresenta como um chat, em que um pode corrigir o outro, trocar áudios e imagens. Outra plataforma mais específica, no caso ensino de História e Artes, é o Google Arts & Culture. ScienceVlogs Brasil (SvBr), é uma rede on-line formada por 21 canais de vídeos hospedados no Youtube e que aborda assuntos na área de ciências. Já para plataformas que aceitam a inserção de conteúdo, com a presença de um professor, ou mediador, há o Google Classroom, e sistemas como o Moodle com ferramentas de fórum, chat e wiki(diário de bordo) que são  usadas com intuito educacional, visando troca de informações, e um espaço para análise do aluno sobre o que aprendeu. 
Dessa maneira as mídias interativas têm como diferencial a possibilidade de troca contínua e imediata, estabelecendo o vínculo mais próximo entre professores e tutores com os alunos, que podem tirar dúvidas e elaborar questões de maneira similar ao que acontece no ensino presencial. A interatividade pode garantir maior engajamento do aluno, que passa a ser agente ativo no processo, visto que só há interação com a participação mútua dos envolvidos. As mídias interativas apresentam ainda a vantagem de poder agregar diversos meios em um só, como texto, áudio, vídeo e infográficos. Além de estabelecer canais de diálogo facilitados, que promovem a participação mais direta dos alunos. Portanto a uma gama de mídias interativas que contribuem para a didática em sala de aula, cabe ao educador escolhe-lás dentro do seus resultados.

Fonte: GOOGLE ARTS E CULTURE.
Disponível:<https://www.google.com/culturalinstitute/beta/?hl=pt-BR>
GOOGLE CLASSROOM.
Disponível em:< https://www.google.com/edu/products/productivity-tools/classroom/>
HACK, J. R; NEGRI, F. 2008. Capacitação Docente para o uso da mídia como ferramenta didática: um espaço de reflexão e ação. Disponível em: <http://www.abed.org.br/congresso2008/tc/429200862022pm.pdf> 
POMMER, W. M; 2008. Brousseau e a ideia de Situação Didática. Disponível em:<http://www.nilsonjosemachado.net/sema20080902.pdf>
TAVARES, R. H. Didática Geral. 2011. Disponível em: < 
[url=http://www.mat.ufmg.br/ead/acervo/livros/Didatica Geral.pdf>]http://www.mat.ufmg.br/ead/acervo/livros/Didatica%20Geral.pdf>[/url]
 http://portal.avantebrasil.com.br/artigos/entenda-as-vantagens-videoaula-ou-midias-interativas/
Alunos: Glaucia e Jonas
Qual é a confiabilidade das informações de uma pesquisa em mídias interativas?
A intenção nesse discurso não é debater sobre perícias de identificação de veracidade em informações, mas intenções de autores e a liberdade no uso da internet por qualquer um. Interpretar a confiabilidade das informações de uma pesquisa em mídia interativa é uma análise não somente da autenticidade das informações, como até mesmo suas distorções e tendências impostas pelo autor das mensagens.

QUADROS (2012) diz que Insuflados por uma necessidade de seguir o perfil político ou econômico do veículo de comunicação a que pertence, o profissional geralmente pública aquilo que ele pode ou o em que ele acredita, e desse modo acaba passando mais desinformação do que esclarecimento.
 
A Wikipedia (2016) , um site de edição colaborativa relata que : The reliability of Wikipedia (primarily of the English-language edition), compared to other encyclopedias and more specialized sources, has been assessed in many ways, including statistically, through comparative review, analysis of the historical patterns, and strengths and weaknesses inherent in the editing process unique to Wikipedia. ecent incidents of conflicted editing, and the use of Wikipedia for 'revenge editing' (inserting false, defamatory or biased statements into biographies) have attracted frequent publicity.
Ou seja, até mesmo uma instituição mundial, cujas informações são oferecidas colaborativamente e de forma anônima, reforça avaliar a confiança das informações ali editadas, visto que pode ser utilizada como um local de edição-vingativa com inserção de informações falsas e difamatórias.

Outros pesquisadores já adotam critérios para analisar a confiança de um artigo, como citado na reportagem de Loiola (2014) “Se a pesquisa não é publicada em periódicos científicos, ela está na mira das críticas”, afirma o bioquímico brasileiro Rogério Meneghini, co-criador do projeto SciELO, uma plataforma online com quase 1 000 revistas internacionais. “A publicação significa que o estudo passou pela revisão de outros pesquisadores, por discussões em congressos ou conferências e pela correção de possíveis erros. Sem isso, ela está destinada a ser contestada.”

Institutos como Khan Academy, Portal de Periódicos da Capes, Scielo e a Biblioteca Digital Mundial (criada pela Unesco), Nature e o Banco de Dados do IBGE já são consideradas fontes seguras de fonte para material de pesquisa. A internet é um espaço democrático em exposição de idéias e opiniões, entretanto, quando voltada para produção de trabalhos científicos, ela tem se demonstrado mais eficiente, conforme expôs Loiola (2014): Com a publicação de dados e conclusões em sistemas online, o apoio da imprensa especializada na divulgação dos resultados e a revisão rigorosa de grupos de pesquisa em todos os cantos do planeta, falhas e equívocos são expostos com clareza ao público – e inauguraram uma ciência mais rigorosa e eficaz.

Fontes: LOIOLA, R. 2014 Ciência à prova de erros - e fraudes.  
Disponível em:<http://veja.abril.com.br/ciencia/ciencia-a-prova-de-erros-e-fraudes/>
ORI.The Offie of Research Integrity.
Disponível em:< ori.hhs.gov>
QUADROS, N. 2012. A mídia tendenciosa. Disponível em:<http://tj-pr.jusbrasil.com.br/noticias/100111614/a-midia-tendenciosa>
WIKIPEDIA, 2016. Reliability of Wikipedia. Disponível em:<https://en.wikipedia.org/wiki/Reliability_of_Wikipedia>
SENAC, 2014.10 Sites de conteúdo confiável para estudar e pesquisar. Disponível em:<http://www.ead.senac.br/noticias/2014/05/dez-sites-de-conteudo-confiavel-para-estudar-e-pesquisar/>
Alunos: Glaucia e Jonas
Como pesquisar interagindo com o "publico" em diversas mídias interativas? (citar um exemplo de mídia, ex: Facebook, e como a mídia seria utilizada para levantamento de informações baseado-se na interação...)
Hipóteses: utilização de scripts de enquetes; utilização de ferramentas e recursos de mídias de contagem.
Mídia: Twitter [/color]
O twitter apresenta a ferramenta de enquete já disponível para que seus usuários possam interagir e pesquisar com seus contatos.
Segundo Todd Sherman, gerente de produto do Twitter, a ferramenta é uma "nova maneira de interagir com a enorme audiência do Twitter e entender exatamente o que as pessoas pensam. Para os participantes, é uma maneira muito fácil de fazer sua voz ser ouvida". (UOL;2015)
Outra ferramenta utilizada para pesquisas, especialmente por televisões interativas, é a utilização de hashtags para escolha de programação de televisão. O recurso é utilizado quando o usuário escolhe entre as opções oferecidas e coloca a hashtag de sua preferência.
Mídia:Youtube
Os botões de ‘curtir’ e ‘não curtir’ são ferramentas utilizadas por muitas empresas para avaliar a aceitação de seu produto pelo público. Entretanto, o Youtube já possui um recurso de criar cartões de enquetes em seus vídeos sem que interrompa o mesmo ou mande o usuário para outro link.
REDDIT
Reddit é uma rede social em que os usuários postam qualquer coisa, e seus comentários são votados positivamente ou negativamente. Quanto mais votos o comentário tem, mais ele ganha notoriedade no site (ficando na página frontal). O Reddit foi uma das plataformas vitais para que o Barack Obama ganhasse as eleições de 2008, há um recurso chamado AMA (Ask me anything), em que os usuários podem perguntar qualquer coisa para outro usuário. Obama respondeu por 30min eleitores duvidosos e saiu do site com mais apoio a candidatura que antes.
Dependendo da temática a ser pesquisada faz-se necessário adotar critérios mais específicos para garantir melhores resultados, como por exemplo, restringir a enquete a partir de número de IP ou mesmo login e senha. Desta forma, evita que o mesmo usuário vote várias vezes e não interfira nos resultados que se pretende identificar.
Fontes:
UOL.2015Twitter lança ferramenta de criação de enquetes. Disponível em: <http://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2015/10/21/twitter-lanca-ferramenta-de-criacao-de-enquetes.htm>
Observatório Audio Visual. 2016. A importância da Hashtag na Social TV . Disponível em:<http://observatoriodoaudiovisual.com.br/a-importancia-da-hashtag-na-social-tv/>
WALSH, David. 2016. How to add a poll to your youtube vídeo. Disponível em:<https://www.youtube.com/watch?v=aq-sXqt_bhE>
Alunos: Glaucia, Elcio, Vitor Latine
Como pesquisar melhor utilizando o Google como site de busca?
Formas de pesquisar existem varias. E fontes de pesquisam também!
A problemática e que qualquer pessoa, mesmo sem embasamentos teóricos podem lançar qualquer tipo de informação na internet. Com isso somos vitimas de informações que não ser verdadeiras, ao serem pesquisadas de forma inadequada no Google.
A partir disso temos que estar ligados nas principais fontes de pesquisas que nos proporcionam segurança. Podemos citar como exemplo, sites renomados para cada pesquisa a ser feita.
- Para pesquisas acadêmicas: Google Acadêmico, Google livros, Google Tradutor, Curriculo lattes, dentre outros.
- Para pesquisas de Locais: Google Maps
Podemos usar alguns recursos para melhorar na busca:
1-Usar palavras comuns na web;
2-Pesquisar uma frase exata;
3-Usar palavras descritivas;
4-Pesquisar em um site específico;
5-Pesquisar por tipo de arquivo;
6-Pesquisar na web em todos os idiomas;
Todas as pesquisar realizadas no Google ou em qualquer outro meio tem por intuito que apreendemos mais com o conteúdo em questão, que nos forçamos a duvidar daquilo que está escrito ou disponível em qualquer site. A duvida traz benefícios, pois a partir dela ficamos, mas atentos a qualquer informação, se é ou não verdadeira.
Segue algumas dicas interessante e que poucas pessoas conhecem:
·         Uma coisa ou outra – Procura por determinada ocorrência ou alternativa. Esta dica também funciona com “|” sem as aspas.
Exemplo: tinta verde OR vermelha. Será feita uma pesquisa por tinta verde e tinta vermelha.
·         Frases explicitas – Citações entre Aspas, o Google vai realizar a pesquisa utilizando exactamente as palavras que escreveu entre as aspas.
Exemplo: “dúvidas de informática”
·         Negação – Se quiser procurar por uma página que não contenha uma palavra específica, utilize o símbolo “-“.
Exemplo: -cisco telefones voip. Exibirá páginas que contenham telefones voip, mas irá excluir páginas que contenham a palavra cisco.
·         Termos similares – Para visualizar páginas com conteúdo semelhante utilize o símbolo “~”.
Exemplo: ~tecnologia telemóveis
·         Wildcard – Use o asterisco (*) para especificar qualquer coisa entre as palavras.
Exemplo: f* informática
·         Definições – Procura a definição (siginificado) da palavra que escreveu.
Exemplo: define:informática
·         Pesquisa relacionada – Procura novos sites com conteúdo semelhante de um site que você já conhece.
Exemplo: related:faqinformatica.com
 
·         Palavra em determinado site – Procura determinada palavra num blog/site.
Exemplo: dicas site:http://faqinformatica .com
·         Procurar nos títulos – restrinja a sua procura apenas aos títulos dos sites.
Exemplo: intitle:informatica
·         Procurar apenas no endereço – Faz uma pesquisa apenas aos endereços dos sites.
Exemplo: allinurl:informatica
·         Procurar apenas no texto – Faz a pesquisa apenas pelo texto.
Exemplo: intext:informatica
·         Procurar determinado tipo de ficheiro – Procure um ficheiro no determinado formato que pretende.
Exemplo: informatica:pdf
·         Procurar por filmes ou músicas – O Google possibilita realizar buscas por músicas ou filmes específicos.
Exemplo movie: Inception
music: come as you are
·         Time – Pesquisa o horário das principais cidades do mundo.
Exemplo: time:rio de janeiro
·         Ver como está o tempo – Veja como está o tempo na cidade que deseja.
Exemplo: weather:lisboa
·         Calculadora – Faça somas, subtracções, multiplicações e divisões, use +,-,*,/.
Exemplo: 30 * 656
·         Número intermediário – Retorna valores especificados entre o valor inicial e final. Utilize dois pontos (“..”) entre um número e outro.
Exemplo: bota de ouro 2007..2010. Retorna páginas com conteúdo bota de ouro entre os anos 2007 e 2010.
·         Converter moedas – Converte valores monetários rapidamente.
Exemplo: 10 reais in euro
·         Converter temperatura – Converter celsius para fahrenheit.
Exemplo: 40C in F
·         Converter velocidade.
Exemplo: 100 kph to mph
·         Converter distancia.
Exemplo: 8 miles in kilometres
·         Informação – Descubra as informações que o Google possui sobre um blog/site.
Exemplo: info:http://faqinformatica .com
·         Descubra os Backlinks para o seu blog/site – Backlinks é o nome dado a links que apontam para determinado blog/site.
Exemplo: link:http://faqinformatica .com
Existem diversos sites para realizar pesquisa em vídeos na web atualmente, sites que permitem ao usuário assistir e fazer upload gratuitamente. Todos os sites combinados têm milhões de horas de vídeos, e assim você pode achar o vídeo que você está procurando facilmente em qualquer um dos sites.
1. Google Vídeos
O Google Vídeos é o mais completo da Web, contendo milhões de vídeos indexados e disponíveis para assistir. Usando o Google Vídeos, nós podemos procurar e assistir uma coleção sempre crescente de espetáculos da televisão, trailers de filmes, vídeos de música, documentários, produções pessoais e mais de toda parte o Web. O índice do site inclui os vídeos que as pessoas adicionaram usando os serviços do Google ( YouTube, Google Video ) como também vídeos de outros locais de terceiros.
2. YouTube
YouTube é uma comunidade onde as pessoas são entretidas, informadas, educadas e inspiradas através do compartilhamento de vídeos. O YouTube tem 71 milhões de usuários únicos ao mês e tem a 6ª maior audiência na Internet. YouTube é distante o líder neste seguimento com centenas de milhões de vídeos vistos diariamente, vídeos apresentados em alta qualidade. É rápido, acessível, tem uma gama extensiva de vídeos gratuitos.
3. Metacafe
Metacafe é um do maiores sites de vídeos do mundo, especializado em vídeos curtos com conteúdo original direcionado para a internet interativa. O comprimento de vídeo médio é de até 90 segundos. O site entretém uma grande audiência caracterizando vídeos incríveis, inspiradores e que fazem os espectadores rirem.
4. VideoJug
VideoJug é o site de vídeo mais popular do mundo relacionado ao aprendizado, com mais de 40.000 vídeo-tutoriais que explicam tudo, desde, assuntos de saúde até passatempos. O VideoJug cresceu na biblioteca mais inclusiva do mundo de conteúdo de vídeo livre on-line. É produzido profissionalmente e provê vídeos em alta definição (HD).
5. Vimeo
Vimeo é uma comunidade de pessoas que amam fazer e compartilhar vídeos. O Vimeo é perfeito para armazenar e compartilhar o vídeo que nós criamos. Ele possui opções avançadas de privacidade, ferramentas de compartilhamento e alta qualidade de codificação de vídeo, além de barra de busca que é muito mais precisa.
6. Animoto
Animoto é um novo site de criação de vídeo que automaticamente gera vídeos profissionais que usam sua própria tecnologia e acabamento de vídeo avançado. É automático, completamente personalizado e não há dois vídeos iguais.
7. Dailymotion
Dailymotion é uma comunidade onde as pessoas são entretidas, informadas e inspiradas assistindo e compartilhando vídeo. O site é o maior do mundo com conteúdo independente destinado ao entretenimento, entregando qualidade profissional, moderada e com vídeos gerados pelos usuários. Diariamente mais de 15.000 vídeos são carregados na rede global de Dailymotion.
O Google é, sem a menor sombra de dúvidas, um dos serviços mais utilizados em toda a internet. Por trás da simples e simpática aparência se esconde uma poderosa ferramenta para buscas de informações de todos os tipos.
O termo “Google” reflete a intenção de seus idealizadores, Larry e Sergey, de organizar as diversas informações disponíveis na web. O termo trata-se de um trocadilho com a palavra "googol", que quer dizer “OOHOHH” ou também pode, dentro da matemática, ser o nome dado a 10 à potência 100 (10^100), devido ao ocorrido com o matemático Edward Kasner, conforme aponta CRATO (2005):
“Um dia, em 1938, o matemático norte-americano Edward Kasner perguntou ao sobrinho que nome haveria de dar a um número muito grande. O rapaz tinha apenas nove anos e ficou espantado quando o tio lhe mostrou o número. Era 1 seguido de 100 zeros. Para o jovem tratava-se de uma quantidade tão inconcebível que lhe chamou um nome inventado: GOOGOL – o que é o mesmo que dizer “OOHOHH”!”
Não somente o Google, mas diversos buscadores como Yahoo;  Bing; Baidu; Buscapé; dentre outros, possuem os mesmo objetivos e praticamente, os mesmos comando, que contribuem para uma busca com resultados mais precisos e de acordo com os objetivos almejados pelo usuário.
O simples fato de adicionar um sinal de "+" ou de "-" antes de uma palavra pode enfatizar sites que a contenham ou até mesmo ignorá-los. Através do comando "filetype" e possível buscar um arquivo em específico, como por exemplo, uma apresentação de slides (*.ppt), arquivo do word (*.doc), músicas (*.mp3), arquivos no formato Pdf (*.pdf) e diversos outros formatos.
 
Referência:
http://faqinformatica  .com/dicas-como-pesquisar-no-google/
CASTRO, Nunes. O Googol e o Google. 2005. Disponível em: <https://sites.google.com/site/edurego/a-matematica-na-imprensa/googol> Acesso em: 03/12/2016
Techmais.net. Os 10 melhores sites para assisistir vídeos online. Disponível em: < http://www.techmais.net/2010/01/os-10-melhores-sites-para-assisistir.html >. Acesso em 04 de Dez. 2016.
Aluna: Patrícia
Alunos: Elcio, Rosangela e Carla
Num presente onde todos têm a capacidade de criar e replicar conteúdo, como podemos separar confiável do duvidável?
É muito difícil separar o joio do trigo, pois estamos constantemente cercados pelo mundo da informação; nem sempre é fácil reconhecer fontes de confiança. No entanto, alguns truques podem garantir que sejam encontrados conteúdos exatamente confiáveis.
1 - Pense no quão confiável você precisa que a informação seja. Os padrões de credibilidade podem variar, dependendo de como a informação será usada.
·         Se você está escrevendo um trabalho acadêmico para uma universidade, precisa ser especialmente rigoroso com as fontes.
·         Se você estiver procurando informações sobre como desentupir uma privada, pesquisar na internet pode ser o suficiente.
·         Se você está criando uma apresentação no powerpoint ou um site, é importante avaliar as fontes, e julgar quais informações devem ser incluídas, e como devem ser apresentadas.
2 - Considere o meio com o qual você está trabalhando. Geralmente, quanto mais se investe na criação e publicação de um material, o mais provável é encontrar informações confiáveis. Por exemplo, um material impresso tem um custo maior de produção do que um blog na Internet, onde qualquer um pode publicar gratuitamente.
·         Um jornal é considerado uma fonte confiável, porque cada artigo deve passar por um processo rigoroso de revisão, com muitos profissionais envolvidos. Revisão não indica necessariamente que os revisores estão de acordo com as conclusões do escritor original. Avaliadores examinam a exatidão da informação, e fazem questionamentos e críticas sobre qualquer conclusão apresentada. Eles podem discordar com o escritor em questão, mas devem confirmar que o artigo é bem embasado.
·         Isso não quer dizer que você deve evitar completamente as fontes da internet, nem que deveria confiar imediatamente em uma publicação, que pode ser altamente tendenciosa. Saiba pesar as informações.
3 - Pesquise o autor. Uma fonte é mais credível quando escrita por um autor credenciado. Se nenhum autor ou organização são citados, a fonte não deve ser vista com muita credibilidade. No entanto, se o autor estiver apresentando um trabalho original, avalie o mérito das ideias, não as credenciais. A história da ciência nos diz que os grandes avanços tendem a vir de fora da comunidade. Aqui estão algumas perguntas que você deve fazer sobre o autor.
·         Onde o autor trabalha?
·         Se ele está filiado a uma organização ou instituição, quais são seus valores e objetivos? Ele se beneficia financeiramente ao promover uma visão em particular?
·         Qual é a formação do autor?
·         Que outras obras ele publicou?
·         Que experiência ele tem? Ele é um inovador, um seguidor ou um divulgador do status quo?
·         Este autor tem sido citado como fonte por outros estudiosos ou peritos no campo?
4 - Verifique a data. Descubra quando a fonte foi publicada ou revisada. Em algumas áreas, tais como as ciências, manter-se atualizado é vital; em outros campos, como as ciências humanas, inteirar-se de materiais mais antigos é fundamental. Você pode estar pesquisando uma versão antiga de determinada fonte, que já foi atualizada. Verifique em um banco de dados acadêmico, para saber se há uma versão mais recente disponível. Caso não encontre nenhuma, você pode confiar mais na fonte usada.
5 - Investigue a credibilidade do publicador. Caso seja uma universidade, a fonte tem mais chances de ser confiável em um padrão acadêmico.
6 - Determine o público-alvo. Verifique o prefácio, sumário, índice, resumo e os primeiros parágrafos do artigo. Ele tem a profundidade e amplitude necessários para seu projeto? Uma fonte especializada demais pode levá-lo a interpretar mal algumas informações, o que é tão ruim quanto usar uma fonte não confiável.
7 - Verifique os comentários. Você pode pesquisar em bancos de dados acadêmicos atrás de comentários sobre determinada publicação. Caso o livro destine-se a um leigo, pesquise os comentários online, e veja as críticas de outras pessoas sobre ele. Se houver alguma controvérsia significativa sobre a validade da fonte, você pode preferir não usá-la, ou examiná-la com um olhar mais cético.
8 - Verifique os comentários. Você pode pesquisar em bancos de dados acadêmicos atrás de comentários sobre determinada publicação. Caso o livro destine-se a um leigo, pesquise os comentários online, e veja as críticas de outras pessoas sobre ele. Se houver alguma controvérsia significativa sobre a validade da fonte, você pode preferir não usá-la, ou examiná-la com um olhar mais cético.
9 - Se um autor for conhecido por ser emocionalmente ou financeiramente ligado a um assunto, esteja ciente de que a fonte pode não representar todos os pontos de vista possíveis. Às vezes, é necessário determinar as relações e os interesses do autor sobre o assunto.
10 - Avalie a consistência da informação. Fontes que aplicam normas diferenciadas para assuntos dos quais concordam ou não, devem ser consideradas suspeitas. Se a sua fonte enaltece um político por “atender às necessidades do seu eleitorado”, mas critica um adversário por “mudar sua posição, com base nas pesquisas de opinião”, pode não se tratar de uma fonte imparcial.
11 - Investigue os patrocinadores ou financiadores de uma pesquisa. Determine se há alguma fonte externa influenciando determinado estudo. Alguns financiamentos pode trazer influências negativas sobre a forma que determinadas informações são apresentadas.
Dicas:
·         Se uma fonte não passa as orientações acima, não significa que a informação contida é falsa. Isso indica que a fonte pode não ser confiável.
·         Quanto mais radicais forem as ideias apresentadas, mais cuidado você deve ter ao examiná-las.
Referências:
http://mariano.delegadodepolicia.com/ferramentas-de-pesquisa-na-internet-e-tecnicas-basicas-de-investigacao-online/ Acesso em 03/12/2016
http://www.cenp.com.br/PDF/cenp_na_midia/About924.pdf,  Acesso em 03/12/2016
[url=http://pt.wikihow.com/Avaliar-a-Credibilidade-de-uma-Fonte. Acesso em 03/12/2016]http://pt.wikihow.com/Avaliar-a-Credibilidade-de-uma-Fonte. Acesso em 03/12/2016[/url]
Alunos: Rosangela, Agatha (imagem)
 
Quais são as características do objeto pesquisado para melhor associá-lo ao tipo de mídia pesquisada?
Quando se trata de pesquisas através de mídias digitais, interativas ou não, uma grande variedade de coisas que conhecemos na internet surgem no pensamento. É verdade que a resposta mais comum, entre todos que utilizam a internet, é sem dúvidas a palavra Google! A empresa Google é a campeã em referências para a pesquisa na internet. Através do site da Google, temos acesso a uma infinidade de conteúdos de diversos tipos de mídias e categorias convencionadas de cunho popular, científico, comercial, cultural e outras várias.

No entanto, ávidos a fazer uma pesquisa na internet, há o primeiro dilema a se discutir, antes mesmo de pensar em "Google".

Este dilema seria: 
Como vou encontrar exatamente aquilo que preciso? 
Aqui começa a nossa discussão de como caracterizar o que procuramos para agilizar e aumentar a eficiência de nossas pesquisas. E qual o tipo de mídia poderia ser melhor utilizada para o que procuramos.

Pois bem, para analisarmos métodos de fazer nossa pesquisa, denominados o assunto, a palavra, a coisa que queremos obter maiores informações como Objeto de Pesquisa. Enquanto ao site, aplicativo, utilitário, fornecedor da pesquisa utilizada, denominados de Mecanismo de Busca.

O Objeto de Pesquisa nas midias digitais atuais, conseguem vários tipos de entrada para pesquisa nos Mecanismos de Busca. Dos tipos de mídias mais comuns e aceitáveis que podemos utilizar são:

·         Texto
·         Audio
·         Video
·         Imagem
Isto demonstra a grande versatilidade dos mecanismos de busca contemporâneos, aceitando vários formatos de entrada de informações para processarem em seus bancos de dados e retornarem com uma rápida referência a busca realizada. O que nos leva a uma variável gigantesca de opções na hora de entrar com o Objeto de Pesquisa e as melhores chances de eles serem bem correspondidos na pesquisa. Para melhor exemplificar vamos contextualizar. 
Requisição de pesquisa (Objeto de Pesquisa): Uma peça de carro
O que você tem de informação sobre: parte de uma descrição técnica da peça (sua finalidade), e uma imagem/foto 
Resposta satisfatória da pesquisa: confirmar a existência da peça, modelo para meu carro, custo e pontos de venda

Então vamos lá! 




* A informação que você tem: Uma peça de carro chamado Biela. Localizada geralmente dentro do motor de veículos.

  • Pesquisando...

    * Neste ponto, você já descobriu que o objeto de pesquisa existe , seu uso e maiores informações técnicas


    * Antes mesmo que você precise de inserir novas informações, os seus objetivos já estão concluídos.


  • Este exemplo encerra aqui a busca pela existência da peça, a sua funcionalidade, o modelo específico que procura e links de referência para vendas do produto. Da mesma forma, poderíamos exemplificar a inclusão de uma imagem no Google Imagens para buscar por imagens similares:



    E por diversos aplicativos e bancos de dados abertos (acessíveis) para pesquisas por audio, música e voz (que não precisamos listar aqui).
     
    Para concluir a nossa resposta, para quais critérios adotar na hora de fazer a sua busca, ainda podemos resumir rapidamente algumas colocações sustentáveis:




Tipo de Entrada de Busca
Tipos de Resposta
Texto



  • Receitas
  • Livros
  • Revistas
  • Diálogos
  • Informativos
  • Documentos escritos
  • Artigos, notícias e informações em geral

Audio (trecho, música, voice)



  • Músicas
  • Sons específicos
  • Traduções de línguas
  • Material de reprodução de áudio

Videos



  • Aulas
  • Notícias
  • Apresentações, atrações, eventos
  • Reprodução comercial
  • Tutoriais profissionais e amadores

Imagens



  • Imagens similares
  • Imagens relacionadas
  • Imagens de assuntos relacionados
  • Textos

É preciso saber o que precisa, e o que deseja como resposta na diversidade de tipos de entradas de informações para se aproximar do resultado esperado no tipo de mídia que você precisa.


 
 
                                                                                                                     
avatar
Carla Cristine

Mensagens : 13
Data de inscrição : 01/12/2016
Idade : 24
Localização : TRINDADE

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Resumo das questões e respostas a serem utilizadas no trabalho final.

Mensagem  Elton Pereira em Qui Dez 08, 2016 3:12 pm

E aí? Estourando os seus miolos de tanto pensar no trabalho?! fuck  


Eu também! crying




Fiz uma referência a esta publicação, como resposta a Patrícia. E coloquei algumas ideias para nortear o que precisa ser feito. Mas, vamos lá, vou repetir aqui para agilizar nossa problemática.




A apresentação no Prezi vão seguir pontos-chave, como foi comentando pelo Whatsapp, sequenciando toda a animação. Nossa animação terá uma voz de narração (uma ou mais vozes), sendo a rota que os quadros vão acompanhar.

(Entenderam? Voz narrativa, vai ser a linha de comando dos quadros, e os quadros vão acompanhar a voz... sacaram?! ufa )

A sequência de animação do Prezi está sendo criada preparada para receber a voz de narração. Aqui está uma lista com a sequência das tarefas a realizar por ordem de importância e uso na confecção do trabalho:



  1. Revisar, avaliar, definir definitivamente as respostas que vão entrar na sequencia do MindMap


  2. Criar o texto do narrador! Cada uma das divisões do MindMap deve ter o texto preparado para o(s) Narrador(es). As citações de autores e links externos só precisam de um breve comentário. Não precisa ser tudo citado com muito critério, deve-se condensar numa apresentação bem encorpada e didática.


  3. O texto preparado para narração deve ficar explícito para todos o mais rápido possível.


  4. Nossa maior emergência sendo atendida (elaboração definitiva do texto para narradores de cada uma sequência do MindMap), é preciso selecionar quem será ou serão os narradores para gravarem o audio do trabalho.


  5. Enquanto grava-se os audios do trabalho, vamos trabalhando na produção dos quadros no Prezi. Para organizar melhor o que fazer, vamos precisar desenhar um storyboard para a sequência de cenas (como dito no Whatsapp: papel, lápis, e visão além do alcance!)


  6. Reunir todos os áudios e possívelmente avaliar com o nosso tutor se o conteúdo está bom e se podemos prosseguir na produção do trabalho.


  7. Passar todos os áudios para o Jonas, para equalizar e transformar tudo isso em um audio só


  8. Jonas passa o audio para Elton para sincronizar a apresentação dos quadros com as narrações


  9. Gravar a animação do Prezi em vídeo, sincronizada com o audio.


  10. Passar video e audios prontos para o Victor, e aguardar sua edição


  11. Revisão geral da apresentação do trabalho


  12. Entregar o trabalho ao tutor.



Fim.
dead
avatar
Elton Pereira

Mensagens : 10
Data de inscrição : 02/12/2016
Localização : Goiânia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum